Convivendo com a CULPA MATERNA

Há pouco mais de uma semana voltei de uma viagem de duas semanas. Nuca havia passado tanto tempo longe dos meus filhos... Antes de ir eu tentei não pensar muito nisso porque eu sabia que existia a enorme possibilidade de desistir; durante a viagem me mantive o mais ocupada possível para não chorar de saudade (funcionou quase a viagem inteira). Voltei para casa e demorou uma semana para eu conseguir matar a saudade e voltar à rotina. Sim, passei sete dias agarran

O mito da maternidade real

Mas o que é, afinal, maternidade real? Será que ela existe mesmo? Melhor, será que existe alguma maternidade que não seja real?

Em tempos de redes sociais, filtros e seletividade, parece que muita gente acredita que a maternidade real é uma espécie de maternidade melhor, como se a maternidade fosse um jogo e ela estivesse um nível acima.

Eu, u

O desafio de viajar com crianças

Desde que soube que estava grávida de gêmeos, uma das primeiras coisas que pensei foi: vai demorar para eu conseguir viajar e também VAI SER INCRÍVEL VIAJAR COM AS CRIANÇAS (quando elas estiverem maiores, claro). Se a rotina já é puxada, imagina uma viagem com os 3 filhos? Sem o tempo da escola (horário que me dedico ao trabalho e, quando dá, ao meu lazer), sem minha rede de apoio (benditos sejam os meus pais, pois desconheço um avó e um avô mais carinhos

Ser mulher (ainda) dói

Quantas vezes fui questionada, julgada? Quantas vezes me olharam torto, fizeram cara feia? Quantas vezes me senti menos, me senti pequena, humilhada e triste muito triste? Muitas. Tantas que perdi as contas. E porquê? Para falar a verdade eu nem sei bem a razão. Mentira, eu sei sim!

Você já sacou do que eu estou falando? Estou falando de viver, fazer escolhas, seguir meu coração, ir em busca do que eu acredito que seja o melhor