Cascais, Portugal, 25 de Dezembro de 2018.

Agora são exatamente 17:56. Marcelo está na cozinha preparando o jantar enquanto Benjamim assiste um filme que, teoricamente, era para Nina (porque ela escolheu, mas correu para cozinha quando o pai perguntou: “quem quer ajudar o papai a fazer o jantar?” Joaquim, claro, foi também!)

Quero falar sobre ontem, quando iniciamos nossas comemorações natalinas. Eu e Marcelo passamos dias e dias pensando na programação, no que faríamos e, no fim das contas, concluímos que menos é mais, como sempre. Fomos almoçar no Grelhas, restaurante que fica na Casa da Guia, em Cascais mesmo. É um lugar lindo, que sempre vamos e as crianças adoram. Fica de frente para o mar e isso já é suficiente para eu me apaixonar por qualquer lugar, mas lá, além da vista incrível, tem comida deliciosa, daquelas que parece que abraçam a gente.

Costa da Guia, Cascais, Portugal – Foto tirada por mim, dia 24/12/2018

O almoço foi delicioso! O restaurante estava super animado, haviam várias crianças com suas famílias, trocas de presentes e  aquela energia de união e confraternização que paira nesse período. O tempo ajudou, fez sol, não estava tão frio e isso nos inspirou a passear a pé depois do almoço. Andamos pela Guia, as crianças brincaram no parquinho, tomamos sorvete, passeamos pelo bosque e fomos até a Boca do Inferno a pé costeando o mar. Nossa… Que dia  lindo!

Joaquim, Guilhermina e Benjamim na Casa da Guia – os sorrisos mais lindos da mamain!

Anoiteceu e ao chegar em casa, entreti as crianças enquanto Marcelo preparava a sala com os presentes para a passagem do Papai Noel para a feliz entrega. Eis que a campainha tocou, era o sinal de Marcelo para me avisar que estava tudo pronto. Corremos até a sala, luzes apagadas, velas acesas em volta da mesa, do oratório e da árvore… As crianças não demoraram a perceber que os presentes haviam chegado. Que lindo o brilho no olhinho deles, que lindo perceber que até Benjamim acreditou na magia (dias antes conversamos e ele veio com o papo de “mamãe, já tenho 8 anos e já sei que Papai Noel, na verdade, é você e papai”).

Ceia na mesa, música tocando, crianças brincando… Marcelo ligou para o pai – ele também faz aniversário dia 24 – conversaram muito e percebi que isso aqueceu o coração do meu maridones lindo. Antes disso gravamos um vídeo para meu sogro e, no meio dos dizeres emocionados de Marcelo, Joaquim soltou um “hoje é aniversário de vovô Eloi e de Jesus!” E essa foi a essência do nosso Natal. Celebrar o amor, a fé, a união, nossa família.

Tiramos essa foto em casa, antes de sair para almoçar. Nosso primeiro Natal em Portugal.

Não é fácil estar longe, especialmente em dias assim. Foi difícil na tristeza, quando meu pai ficou mal (escrevi sobre isso nesse post) e foi difícil na alegria. Gostaria de abraçar, beijar e estar pertinho dos meus pais e irmãos, mas foi maravilhoso viver o Natal com a família que constituí. Fizemos tudo do nosso jeito, no nosso tempo, livres, fluindo e deixando ser… Sem grandes programações, tudo na simplicidade das pequenas coisas. E eu posso afirmar que este foi o Natal mais poético e mais emocionante que vivi até hoje.

Dia 25 chegou, ficamos o dia todo em casa. As crianças ressacadas, eu e Marcelo também. Assistimos filmes, limpamos a casa, acendemos velas e incensos… aproveitei a calmaria para ler e agora estou aqui escrevendo este post.

São exatamente 18:21. Ninguém mais assiste o filme, desliguei a TV, Marcelo continua cozinhando – sozinho – ao som de Bob Marley e as crianças estão jogando futebol. A vida é isso. Esses pedaços de rotina que costuramos e criamos nossa história.

O cheirinho que vem da cozinha está delicioso… Vou até lá! Mas antes disso, deixo a pergunta: como foi o seu Natal?

Beijos e até.

Escrever um Comentário