Em 2012 visitei Portugal pela primeira vez. Como Lisboa é a porta de entrada para a Europa, decidimos passar alguns dias por lá. Até então confesso que nunca havia despertado nenhum interesse especial pelas terras lusitanas, no entanto, quando coloquei meus pés ali… Nossa! Até hoje não sei  como explicar o que senti, foi algo como a sensação que tenho quando faço uma grande viagem e chego em casa, só que eu estava fazendo exatamente o contrário. Eu havia acabado de deixar minha casa e estava visitando um lugar que eu nunca havia estado. Enfim, senti aquele quentinho no coração e esse quentinho, à medida que eu fui conhecendo os lugares, as pessoas, a cultura, a gastronomia… foi crescendo, crescendo e se transformou em paixão. E a paixão se transformou em amor. De 2012 para cá aconteceram muitas visitas e, a cada partida, uma saudade enorme e o sonho que falava baixinho dentro de mim “um dia eu vou voltar para cá, vou viver aqui”. Em 2015 os gêmeos vieram e o sonho ficou (quase) mudo, foi abafado por outro sonho e pelas responsabilidades que ser mãe de 3 trazem (quando Guilhermina e Joaquim nasceram, Benjamim tinha cinco anos).

Final de 2017, véspera de ano novo. Eu e Marcelo (meu esposo) decidimos ficar em casa, só nós, as crianças e Charlie, nosso cachorro. Tivemos uma ceia linda e uma virada tranquila, do jeito que a gente havia planejado. Nas primeiras horas de 2018, crianças já dormindo, Marcelo com seu charuto, Gilberto Gil na vitrola, ventinho bom… veio um pensamento: “e se a gente decidisse ir morar em Portugal, como seria?” Estávamos com uma viagem programada para lá, íamos no fim do mês. Seria a primeira vez que a família toda faria uma viagem internacional.

Fim de janeiro chegou, partimos para nossas férias. E foi passeando pela ruas de Lisboa, empurrando o carrinho com Nina e Joaquim sentados, observando minha mãe conversando com Ben e Marcelo ao meu lado que o sonho, pela primeira vez, não murmurou, não falou baixinho, ele gritou dentro de mim, gritou forte, tão forte que eu não tive outra alternativa, eu obedeci. Era véspera da nossa ida à Fátima.

Quando chegamos em Fátima, fiz o percurso que os peregrinos fazem ajoelhados (já havia feito antes), mas dessa vez não pedi nada, só agradeci e disse “se for para ser, a Senhora vai me mostrar”. Vi meus filhos brincando no santuário, quanta pureza, quanta paz! Independente de religião, a energia que vibra ali é inegável e eu recomendo que, se você tiver a oportunidade, visite Fátima e o seu santuário pelo menos uma vez na vida.

Os dias passaram, conhecemos Guimarães, a cidade onde nasceu Portugal e também onde nasceu meu bisavó materno. Foi lindo, emocionante, quase surreal.

Voltamos para o Brasil alguns dias depois. Eu não sabia como faríamos, não sabia se seria possível, eu só sentia esse desejo, cada vez maior, tomando conta de mim. E a vida foi seguindo e a inquietação ali, me fazendo passar noites e noites em claro, lendo, pesquisando, fazendo planos, conversando horas e horas com Marcelo. Se tem um ser humano que embarca comigo nas minhas “loucuras”, é ele. E eu embarco junto com ele quando a “loucura” planta a semente no seu coração primeiro. E acredito que este seja um dos motivos que faz nosso casamento ser tão leve e bom de se viver, a gente sonha juntos, confia um no outro, respeita os desejos e a necessidade de crescer e não se acomodar na zona de conforto. Foi minha vez de querer voar, minha vez de querer crescer, de querer experimentar… Haviam muitos contras e alguns prós. Começamos analisando os contras e, um a um, eles foram sendo eliminados e a lista de prós foi crescendo…

A caminhada até hoje, 10 de setembro de 2018 (agora são exatamente 14:27), não foi nada fácil. Incontáveis obstáculos surgiram, senti e sinto muito medo, um frio na barriga que parece que vai me engolir agora mesmo. Mas como eu estou apesar disso tudo? Estou feliz! Talvez se eu soubesse dos inúmeros empecilhos que surgiriam, eu não tivesse tentando, pior, talvez eu tivesse desistido antes de começar. Só que eu dei o primeiro passo, dei o segundo, o terceiro… fui ajustando o plano, adaptando, aprimorando e seguindo firme (às vezes não tão firme assim). Mas segui, segui em rumo àquilo que faz meu coração vibrar. Não foi uma decisão fácil, sei que não será fácil, mas é o caminho que eu escolhi, estou escrevendo mais um capítulo da minha história e nunca antes me senti tão forte e preparada para ser, simplesmente, eu, para viver um dia de cada vez exatamente como eu decidi. Isto, para mim, é liberdade. E ser livre não tem preço.

Partirei amanhã, 11 de setembro de 2018, para Portugal. E dessa vez, vou para ficar. Não sei como será, não sei se ficarei a vida inteira, a única coisa que sei é que eu vou para onde o meu coração e minha intuição me guiam. Hoje estou fazendo as malas, hoje planejo uma vida em Cascais. Talvez outros lugares surjam, talvez… Quem sabe?

O que eu aprendi com tudo isso? Se você sonha, vai e realiza. Nunca saberemos o caminho todo, o planejamento perfeito não existe. Dê o primeiro passo e acredite em você. Faça suas escolhas, permita-se e ouse ser responsável pela sua história.

6 Comentários

  1. Nossa. Que perfeito seu artigo. Quando decidi viver em portugal. Tão eu que me arrepiou ao ler. Passei por tudo isso eu e meu esposo. E agora estamos nest fase alí… A inquietação noite e dia..Mas enfim q seja da vontade de Deus agente voltar ou ficar aqui Br. Parabéns á vcs te desejo tudo d MELHOR pois existe outro mundo aí

    • Que bom saber dessa identificação em um momento tão importante para mim! Você também foi morar em Portugal? Me conta! 😊😘

      • Sim em partes. Larguei tudo aqui (que não é nada fácil casa,trabalho, família)no Brasil para iniciar uma vida nova eu e meu esposo ai em portugal(porto). Fomos e só passamos 10 dias nossa foi incrível tudo. A Cultura das pessoas, a Educação, a honestidade, a Segurança, Qualidade de vida q não se ver no Brasil. Ja estavamos se adaptando(clima, fuso horário, trabalho)…ai tive uns problemas de família e tive q voltar aqui para o Br…ja tem 2 meses mas.. O meu subconsciente não quer mas ficar aqui. Contudo não vejo a hora de poder ir novamente e se Deus permitir desta vez é pra ficar!! ☑😊🍀

        • Pois o que você precisar, pode contar comigo, tá? Beijos e desejo que em breve a gente se encontre por aqui!

  2. Um belo artigo, desejo tudo de melhor… Que as melhores coisas possam surgir no seu caminho… Estou numa fase bem cruel comigo mesma (pós formatura) tentando criar metas, observar as oportunidades… Esses relatos de perseverança nos ajudam a encher o coração de esperança. Seja feliz ! Um abraço!

    • Cada fase da vida vem com um desafio diferente, não é mesmo? O mais importante é não perder a esperança na gente e em dias melhores, lembrando sempre de viver o presente e não se cobrar tanto. No fim das contas, tudo se ajeita e dá certo. Beijos!