Mas o que é, afinal, maternidade real? Será que ela existe mesmo? Melhor, será que existe alguma maternidade que não seja real?

Em tempos de redes sociais, filtros e seletividade, parece que muita gente acredita que a maternidade real é uma espécie de maternidade melhor, como se a maternidade fosse um jogo e ela estivesse um nível acima.

Eu, uma pessoa que expõe um tanto da vida e da experiência de ser mãe, vou falar para vocês exatamente o que eu penso sobre isso. Toda maternidade é real. A grande diferença é que muita gente confunde a maternidade com o que a gente (enquanto mãe) coloca lá no Instagram (e afins) pra todo mundo ver e curtir.

Minhas redes sociais estão longe de ser a minha vida real, muito longe mesmo. Nas fotos postadas, tudo é mais poético, escolho aqueles momentos para compartilhar e, principalmente, para deixar lá guardadinho no meu feed para eu espiar sempre que sentir vontade. Um filtro bonito e um bom ângulo não fazem mal a ninguém, desde que a gente seja genuína e sincera. A vida não é feita apenas de bons momentos e bons ângulos, mas a gente pode sim ser mais positiva e tentar enxergar o lado bom de tudo. Problemas? Dificuldades? Tenho sim, aos montes. Algumas vezes as exponho, outras vezes só o colo e carinho da minha mãe conseguem me ajudar a segurar a onda. No final do dia, o smartphone vai pra mesinha do canto e resta você com você, sem filtros, nem likes. Porque se a gente olhar bem de perto, somos todas muitas parecidas, amamos, desejamos acertar e criar nossos filhos da melhor maneira possível. Aquelas fotos lindas e posts com textos igualmente lindos são apenas uma parte da história, mas não são o todo. Por isso nunca, jamais devemos pensar que mãe fulana é melhor ou pior, pois não sabemos o que está por trás daquele sorrisão postado.

Não existem atalhos, nem receitas infalíveis. Cada mãe tem sua jornada, cada maternidade é única. Cabe a nós compreender mais e julgar menos, estender mais a mão, abrir mais o coração, olhar menos pro celular e mais nos olhos de quem queremos bem.

Repito: toda maternidade é real. O que vale não é o que o mundo sabe sobre nós, mas como a gente se enxerga diante do mundo. Mais amor próprio e mais tolerância com nós mesmas! Porque quando entendemos que o nosso caminho é só nosso e que respeitar a jornada do outro faz parte desse caminhar, a maternidade se torna mais leve. A grama do vizinho parece ser mais verde, mas de perto ela é igual a sua. A vida da blogueira parece ser incrível, mas de perto ela sente o mesmo que você.

 

Escrever um Comentário