Poucas foram as vezes na vida que passei tanto tempo sem escrever. A causa da pausa foi nobre, tanto que é por causa dela que hoje estou aqui mexendo meus dedos nesse teclado.

Vamos lá!

Engraçadas as voltas que a vida dá, né? O motivo que me fez parar é o mesmo que me fez voltar. Meus filhos. Falar assim no plural me deixa maluca de felicidade. MeuS filhoS!! Agora são 3… Amor em triplo? Não. Amor infinito! Na verdade, não foi só a escrita que ficou em segundo plano, foi qualquer coisa que não estivesse diretamente relacionada à gravidez. Vivi os 9 meses de gestação intensamente, curti cada segundo e foi fantástico.

Eu não farei um mega relato de parto, pelo menos não nesse post, mas digo com gosto e orgulho que tudo correu muito bem, Guilhermina e Joaquim nasceram no dia que entrei no nono mês de gestação (03.09.15). O trabalho de parto começou antes da data prevista, só que pelo tamanho deles, o meu útero aguentou até demais. O parto foi tranquilo, eles nasceram bem e saudáveis, mamaram já nas primeiras horas de vida e receberam alta junto comigo. Enfim, realizei meu grande desejo que era sair da maternidade com meus dois filhos nos braços. Mentalizei essa cena durante toda a minha gravidez e ela realmente aconteceu, só que na hora do “vamo vê” foi mil vezes melhor.

Nina, mamãe e Joaquim <3<3

Nina, mamãe e Joaquim <3<3

Muitas águas rolaram depois desse dia, o puerpério foi punk, mas não tão punk assim. Hoje estamos bem adaptados, a rotina já se fez amiga, encontramos nosso ritmo e vamos nos conhecendo, reconhecendo e conectando dia após dia.. Dar conta de 3 filhos é algo que eu não sabia como seria e eu não pensava muito nisso quando engravidei pela segunda vez. A minha intuição falou para mim o seguinte: vive um dia de cada vez e confia em mim. Eu a ouvi e está dando tudo mais certo do que errado.

Hoje, na véspera dos meus gemelindos completarem 3 meses, eu posso afirmar com clareza e firmeza que eu me sinto plena, realizada e renovada. Claro que o cansaço pinta de vez em quando, mas minhas crias me fortalecem de uma maneira que até consigo tempo para sentar e escrever tudo isso aqui. Tudo é possível quando acreditamos e colocamos a mão na massa. E agora eu estou de volta e não pretendo mais parar tão cedo!

Beijos e até.