Primeira carta de 2020 para os passarinhos

Das coisas que fazem meu dia - qualquer dia, até os piores - melhorar 127% (talvez mais) são, não necessariamente nesta ordem: quando Benjamim larga o que está fazendo (geralmente o iPad com algum filme/jogo), pula na minha cama, me abraça apertado e diz que me ama (sim, ele é fofo assim e sim, ele faz isso quase todos os dias, algumas vezes mais de uma vez por dia); ou quando ele fica todo falante, querendo conversar sobre tudo e todas as curiosidades do mundo

Oi, 2020! (A dura e frustrante realidade das metas não alcançadas)

Todo ano novo e aquela super esperança de que tudo será diferente. Diferente como, especificamente? Os mil planos serão apenas planos, os sonhos serão apenas sonhos se eu não entrar em ação e continuar agindo com persistência dia após dia. É assim que as mudanças acontecem: agindo! Não é tão romântico como nos pensamentos, muitas vezes é cansativo e dá vontade de desistir, mas é a realidade.

“Tereza, você mudou de profissão?”

Não, minhas amoras. Eu NÃO mudei de profissão. Continuo na jornada apaixonante do autoconhecimento, só que quanto mais estudo, aprendo, aprimoro, mais tudo isso reflete diretamente na minha maneira de viver e de trabalhar.

Nunca fui fã de rótulos, a mudança é minha fiel companheira e eu nunca deixei de ser quem sou (em essência - meus valores), o que acontece é a evolução natural enquanto ser humano que busco e que faz pa

O que você já deixou de fazer por ser mulher?

"Os homens nos cargos mais altos muitas vezes nem se dão conta dos benefícios de que desfrutam simplesmente por serem homens, o que pode impedi-los de enxergar as desvantagens associadas ao fato de se ser mulher. As mulheres em posições mais abaixo também acreditam que os homens acima têm o direito de estar lá em cima, de forma que tentam jogar segundo as regras e dão ainda mais duro para avançar na carreira, em vez de levantar questões ou ex